icon-plus
Espalda I (2018), de Mano Penalva [Foto: Divulgação]

Em sua primeira individual na galeria Simões de Assis, Penalva mostra trabalhos recentes em que desvenda elementos da casa, tanto da arquitetura quanto de ornamentos mais transitórios. “O desuso de certas manufaturas tradicionais e a industrialização levaram à escassez de materialidades consideradas populares, artesanais, como as palhinhas dos assentos de cadeiras e bancos, os braços curvos de cadeiras de balanço, as cortinas de bolinhas de madeira, entre outros materiais que podem ser encontrados em estado precário ou que já se tornaram raridades”, afirma. Para além dos interesses pelos gestos populares, pelas manufaturas em desuso e pelos ornamentos da casa, vemos nessa mostra um uso elaborado, quase literário, de metáforas visuais.  A mostra conta com texto crítico de Marcelo Campos. Em cartaz até 29/4.

Em cartaz
Cumeeira, de Mano Penalva
05/04/2023
Galeria Simões de Assis, São Paulo
Espalda I (2018), de Mano Penalva [Foto: Divulgação]
Tags  
Mano Penalva   Marcelo Campos   simoes de assis